Centro-Oeste

Área 1.606.371km²
(18,8% do território nacional)
Habitantes 13.269.517
(7,3% da população nacional)
Estados Distrito Federal
Goiás
Mato Grosso
Mato Grosso do Sul
Clima Tropical (Equatorial Úmido no norte do Mato Grosso)

Centro-Oeste

A região Centro-Oeste é caracterizada pela exuberância de sua fauna e flora – mais de 650 espécies de aves e 80 de mamíferos –, pela vastidão dos horizontes, pela natureza selvagem. E pela abundância das águas, que correm por incontáveis rios – com mais de 200 espécies diferentes de peixes – e cachoeiras.

Aqui fica o Pantanal, maior planície alagável do planeta, um dos mais belos e surpreendentes cenários naturais do país. Assentada sobre o Planalto Central – centro geográfico da América do Sul –, é a região das grandes chapadas, como são chamados os platôs montanhosos que dominam a paisagem do coração do Brasil. A vegetação do Cerrado, um dos grandes ecossistemas brasileiros, é predominante.

O Centro-Oeste é formado pelos estados de Goiás (GO), Mato Grosso (MT) e Mato Grosso do Sul (MS) e pelo Distrito Federal (DF), cidade-estado incrustada em Goiás. Ocupa uma área de 1,6 milhão de km² – 18,86% do território nacional – e tem cerca de 11 milhões de habitantes – a segunda mais baixa densidade populacional do país. O clima é tropical semi-úmido, com apenas duas estações, definidas pela ocorrência de chuvas: o verão, ou estação das chuvas, entre novembro e abril, e o inverno, entre maio e outubro. As temperaturas são altas – normalmente, acima de 30° C, com mínimas entre 10° C e 15° C nos meses de julho e agosto.

As capitais dos estados são os grandes pólos econômicos e urbanos da região. A maior cidade é Brasília (DF), capital federal, com 2,4 milhões de habitantes, seguida por Goiânia (GO), com 1,2 milhão; Campo Grande (MS), com 724 mil, e Cuiabá (MT), com 526 mil. O Centro-Oeste começou a se desenvolver com o garimpo de ouro e diamante, mas hoje a economia se baseia na pecuária. A transferência da capital federal do Rio de Janeiro para Brasília, em 1960, acelerou o crescimento. Entretanto, em decorrência da integração tardia e da topografia local, os imensos sertões mantêm-se ainda isolados, com grandes áreas praticamente intocadas pelo homem.

O ecoturismo e o turismo de aventura têm crescido a passos largos. A região recebe visitantes de todo o mundo, seduzidos especialmente pela beleza do Pantanal. As chapadas dos Guimarães (MT) e dos Veadeiros (GO) atraem os viajantes em busca de aventuras. A região de Bonito, no Mato Grosso do Sul, é um dos principais destinos de ecoturismo brasileiro. Cáceres (MT) e Corumbá (MS), cidades situadas às margens do rio Paraguai, recebem os amantes da pesca esportiva. As cidades de Goiás e Pirenópolis (GO) são procuradas por quem busca opções histórico-culturais.