São Paulo

Área 248.209km²
(2,9% do território nacional)
Habitantes 40.442.795
(22,5% da população nacional)
Capital São Paulo

São Paulo

São Paulo

A cidade de São Paulo é o principal centro brasileiro de eventos e negócios. Responsável por 10% do PIB brasileiro, a capital do estado é a maior cidade das Américas e a quarta do mundo, com 11 milhões de habitantes. Ao longo do ano, juntam-se a essa multidão mais 10 milhões de visitantes. Nada menos que sete de cada dez grandes feiras e exposições realizadas no país ocorrem aqui.

História, cultura, gastronomia e lazer contribuem significativamente para movimentar o turismo da cidade.

Os números são sempre superlativos. Artistas consagrados e iniciantes dividem com o público o espaço de 120 teatros, 90 museus, quase 300 salas de cinema. Mais de 12 mil restaurantes – de tradicionais botecos a sofisticados bistrôs – disputam a preferência de quem apenas quer relaxar numa happy hour com amigos depois de um agitado dia de negócios ou se deliciar com os requintes da melhor culinária internacional. A vida noturna é a mais diversificada do país, com 15 mil bares, quase 200 casas noturnas e sete casas de grandes espetáculos. Nos sofisticados bairros dos Jardins podem ser encontradas lojas das mais famosas grifes internacionais; o circuito de compras se estende por 72 shopping centers e cerca de 250 mil lojas.

Construções seculares – Pátio do Colégio, Teatro Municipal, Estação da Luz, Catedral da Sé, Basílica de São Bento – e museus – destaque para o Museu do Ipiranga, Museu de Arte de São Paulo (MASP) e Museu de Arte Moderna (MAM) – recontam a história da cidade e do Brasil.

Outro pedaço da história da cidade e do país – mais recente, quando o Brasil recebeu milhares de imigrantes vindos de todas as partes do mundo – ainda se faz presente em diversos bairros com características étnicas peculiares.Visitar o Bixiga (italianos), a Liberdade (japoneses) e outros bairros típicos permite ao visitante uma melhor compreensão da identidade multifacetada desta metrópole.

São Paulo

Principais Atrativos

Pátio do Colégio

Local de fundação da cidade. Em 1554, aqui foi instalado um alojamento e um colégio para catequização dos índios. Abriga conjunto arquitetônico formado pela Capela Anchieta e pelo Museu Padre Anchieta. Pátio do Colégio, Centro.

Largo de São Bento

Quase 100 mil pessoas circulam diariamente pelo Largo, repleto de histórias. No local ficava a taba do cacique Tibiriçá, ocupada pelos monges beneditinos no início do Século XVII, que ergueram um mosteiro e a Igreja de Nossa Senhora da Assunção, conhecida como Igreja de São Bento. Em 1910, as construções antigas foram demolidas para dar lugar a outras maiores.

Basílica de São Bento

Construída entre 1910 e 1922 para substituir a antiga Igreja de São Bento, tem vitrais alemães, paredes de madeira entalhada e um órgão com 6 mil tubos. Abriga os restos mortais do bandeirante Fernão Dias. Missa com canto gregoriano aos domingos, às 10h. Largo São Bento.

Igreja da Ordem Terceira do Carmo

Construída em 1632, tem altar em talha dourada, forro pintado em 1798 e imagens sacras do Século XIX. Mantém as paredes originais de taipa. Os carmelitas já ocupavam o lugar desde 1594. Avenida Rangel Pestana, 230. Segunda a sexta, 8h às 12h e 13h às 17h; sábado e domingo, 9h às 12h.

Igreja das Chagas do Seráfico Pai São Francisco

A capela original foi fundada em 1676 e a construção atual, exemplo do barroco paulista, é de 1787. Em 1918, os restos mortais de Diogo Antônio Feijó, o Padre Feijó, regente do Império, foram encontrados no templo e trasladados para a Catedral da Sé. Largo São Francisco, 173. Segunda a sexta, 7h às 11h30 e 13h às 17h.

Igreja de São Francisco de Assis

Uma das mais freqüentadas da cidade, foi erguida em 1647. Em seu convento foi idealizado o primeiro curso jurídico do país. O convento também foi moradia, por algum tempo, de Santo Galvão. Largo São Francisco, 133. Segunda a domingo, 7h30 às 19h30.

Catedral Metropolitana

É uma das maiores igrejas do mundo em estilo gótico, com 111 m de comprimento, 46 m de largura e 16 torres. O templo atual começou a ser erguido em 1913 e foi inaugurado, ainda incompleto, em 1954, durante as comemorações dos 400 anos da cidade. Só alguns anos depois as duas torres principais ficaram prontas. A catedral foi palco de grandes manifestações políticas e ecumênicas na década de 1970, durante o governo militar. Praça da Sé. Segunda a sexta, 8h às 17h; domingo, das 8h às 18h30.

Theatro Municipal

Inaugurado em 1911, o imponente prédio tem em seu interior um imenso lustre, com 260 lâmpadas e 6 mil peças de cristal, parapeitos revestidos com ouro e forro decorado com uma pintura de Oscar Pereira da Silva. Praça Ramos de Azevedo. Terça a quinta, às 13h.

Estação Júlio Prestes

Atual sede da Orquestra Sinfônica de São Paulo, o prédio – erguido no estilo dos terminais ferroviários europeus – tem uma das mais modernas e bem equipadas salas de concerto do mundo, a Sala São Paulo, com sistema acústico projetado para que o som chegue uniformemente às 1.509 poltronas. Praça Júlio Prestes, Luz. Segunda a sexta, das 10h às 18h.

Estação da Luz

Principal porta de entrada da cidade entre 1901 e o fim da Segunda Guerra Mundial, em 1945, a estação ferroviária localizada no Jardim da Luz teve as estruturas trazidas da Inglaterra. O projeto foi inspirado no Big Ben e na Abadia de Westminster.

Mercado Público

Inaugurado em 1933, o imponente prédio em estilo neoclássico tem frutas, verduras, legumes, vinhos, queijos, chocolates, carnes, frutos do mar, aves, embutidos, temperos, condimentos, além dos famosos pastéis de bacalhau e sanduíches de mortadela. Mais do que tudo isso, contudo, o mercado oferece ao visitante o verdadeiro espírito paulistano. Um dos destaques do prédio são os 32 painéis, formados por vitrais, que retratam o trabalho dos colonos. Aos sábados, os restaurantes do mezanino ficam lotados. Rua da Cantareira, 306, Centro. Segunda a sábado, das 7h às 18h; domingo, das 7h às 13h.

Praça da Sé

O Largo da Sé surgiu com a instalação da Câmara de Vereadores, em 1588. Ganhou a denominação de praça em 1911, quando se iniciou, no local até então ocupado por uma pequena igreja, a construção da Catedral da Sé, concluída em 1954. A praça tornou-se ponto de manifestações políticas em momentos cruciais da história de São Paulo e do país no Século XX, como a revolução de 1932 e o movimento Diretas Já, em 1984. Um espelho d'água e 16 estátuas e esculturas realçam o conjunto arquitetônico formado pela Catedral e pelo Palácio da Justiça.

Viaduto do Chá

Primeiro viaduto de São Paulo, foi projetado em 1877 pelo francês Jules Martin. Ao ser inaugurado, em 1892, estabeleceu a ligação da rua Direita com o Morro do Chá, que tinha esse nome por abrigar plantações de chá. Em 1938, a construção em metal e madeira deu lugar ao concreto.

Edifício Itália

Um dos prédios mais altos do país, inaugurado em 1965, tem 170 m de altura e 43 andares. No topo – de onde se tem vista privilegiada da cidade – fica o tradicional e requintado restaurante Terraço Itália. Av. São Luís com av. Ipiranga.

Parque do Ibirapuera

Mais conhecida e freqüentada área verde de São Paulo – com pista de cooper, ciclovia, quadras de esporte, playground, lago e espaço para piquenique –, o Parque do Ibirapuera foi inaugurado em 1954, durante as comemorações do quarto centenário da cidade. Abriga importantes centros de arte e cultura – o Museu de Arte Moderna, os anexos da Pinacoteca do Estado e do Museu de Arte Contemporânea, o Pavilhão da Bienal, o Planetário, o Pavilhão Japonês e o Viveiro Manequinho Lopes. Nos fins de semana, os visitantes podem contemplar o espetáculo “balé das águas”, na fonte com quase 700 chafarizes. Avenida Pedro Álvares Cabral, Ibirapuera.

Avenida Paulista

Centro financeiro de São Paulo, sedia bancos e grandes conglomerados empresariais, entre eles várias multinacionais. Inaugurada em 1891, época em que era tomada pelas mansões dos “barões do café” (algumas dessas construções permanecem como testemunhas daquele tempo), tem 2,8 km de extensão e foi a primeira via asfaltada e arborizada da capital. Além do caráter econômico, a Paulista tem grande importância cultural, com vários cinemas, teatros, bibliotecas e museus.

Memorial do Imigrante

Instalado em parte da antiga Hospedaria de Imigrantes, construída entre 1886 e 1888 para receber os estrangeiros que chegavam a São Paulo, o memorial reúne mobiliário, instrumentos, ferramentas, fotos, documentos e depoimentos de imigrantes. Há terminais para consulta nos registros de quem passou pela hospedaria entre 1882 e 1907. Um bonde circula entre o Memorial e a Estação Bresser, num percurso de 15 min. Rua Visconde de Parnaíba, 1.316, Mooca. Terça a domingo, 10h às 17h.

Memorial da América Latina

Projetado por Oscar Niemeyer, o memorial possui um acervo de 30 mil livros e 1,7 mil filmes de vários países do continente. Outro atrativo é o mapa em alto-relevo da América Latina sob o chão de vidro, que retrata as características de cada região. Rua Auro Soares de Moura Andrade, 664, Barra Funda.

Museu do Ipiranga

Trata-se de um edifício-monumento erguido no local em que Dom Pedro I proclamou a Independência do Brasil. Inaugurado em 1890, guarda mais de 125 mil objetos, pinturas e documentos sobre a história do país, especialmente a paulista, dos primórdios da colonização a meados do Século XX. Parque da Independência, Ipiranga. Terça a domingo, 9h às 17h.

Museu de Arte de São Paulo (MASP)

Inaugurado em 1947, o MASP possui um dos mais importantes acervos de arte européia na América Latina, com diferentes escolas representadas na coleção, do Renascimento ao Modernismo. Destaque para as obras de mestres como Rafael, Botticceli, Delacroix, Manet, Degas, Cézanne, Monet, Renoir, Van Gogh, Toulou-se-Lautrec, Matisse, Modigliani, Chagall, El Greco, Zurbarán, Velázquez, Goya, Rembrandt e Picasso. As artes plásticas brasileiras também estão bem representadas, com trabalhos de Lasar Segall, Anita Malfatti, Di Cavalcanti e Portinari, entre outros. O edifício, projeto da arquiteta Lina Bo Bardi, tem um vão livre de 74 m, onde ocorre uma feira de antiguidades aos domingos. Avenida Paulista, 1.578. Fecha às segundas. Quinta, 11h às 20h. Nos demais dias e feriados, 11h às 18h. Os ingressos são vendidos até 1h antes do fechamento.

Pinacoteca do Estado

O acervo, composto por 4 mil peças, reúne trabalhos de importantes artistas plásticos brasileiros, como Cândido Portinari, Anita Malfatti, Victor Brecheret, Tarsila do Amaral e Di Cavalcanti. Há também esculturas dos franceses Auguste Rodin e Camille Claudel. Projetado em 1897 por Ramos de Azevedo, um dos principais arquitetos do começo do Século XX em São Paulo, o prédio em estilo clássico também é uma atração por si só. Praça da Luz, 2, Jardim da Luz. Terça a domingo, 10h às 18h.

Museu da Língua Portuguesa

Instalado no prédio que fica acima da plataforma de trens da Estação da Luz, o museu expõe conteúdo interativo sobre a história da Língua Portuguesa, os idiomas que ajudaram a formá-la e as formas que a linguagem assume no cotidiano. No primeiro andar há uma sala de exposições temporárias. Praça da Luz, s/ n°, Centro. Terça a domingo, 10h às 18h. A bilheteria fecha às 17h.

Museu de Arte Sacra

Possui acervo com cerca de 4 mil peças, das quais 800 permanecem em exposição. Entre os destaques estão obras de Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho, e Manuel da Costa Ataíde, mestres do barroco mineiro. O Museu está instalado no Mosteiro da Luz, considerado o principal monumento arquitetônico do Século XVIII, construído por Frei Galvão em 1774. Avenida Tiradentes, 676, Luz. Terça a domingo, 10h às 17h.

Museu de Arte Moderna (MAM)

Instalado no Parque do Ibirapuera, tem acervo de 4 mil peças, incluindo obras de alguns dos mais importantes artistas plásticos brasileiros, como Cândido Portinari, Di Cavalcanti, Tarsila do Amaral e Victor Brecheret. Inaugurado em 1959, o prédio foi desenhado por Lina Bo Bardi, a mesma arquiteta do Museu de Arte de São Paulo (MASP). Parque do Ibirapuera, portão 3, s/ n°. Terça a domingo e feriados, 10h às 18h.

Museu de Arte Contemporânea (MAC)

Localizado no campus da Universidade de São Paulo (USP), possui um dos principais acervos de arte moderna e contemporânea da América Latina. São cerca de 10 mil obras, com destaque para Picasso, Matisse, Miró, Kandinsky, Modigliani, Tarsila do Amaral, Di Cavalcanti, Volpi, Brecheret e Flávio de Carvalho, entre outros. Rua da Reitoria, 160, Cidade Universitária. Terça a sexta, 10h às 18h; sábado, domingo e feriados, 10h às 16h.

Museu Lasar Segall

Reúne cerca de 3 mil trabalhos do pintor lituano naturalizado brasileiro (1891-1957). Instalado na casa onde o artista morou por 25 anos, conta também com o Cine Segall, biblioteca especializada em artes e fotografia, e oferece cursos nas áreas de gravura, fotografia e criação literária. Rua Berta, 111, Vila Mariana. Terça a sábado, 14h às 19h; domingo, 14h às 18h.

Fundação Maria Luisa e Oscar Americano

Criada na década de 1970, a princípio com objetos de arte da família Americano, passou a agregar outras obras, de diferentes períodos. De arte moderna, há telas de Alberto Guignard, Di Cavalcanti, Cândido Portinari e Lasar Segall, além de esculturas de Victor Brecheret. Do período colonial, pinturas do Século XVII, tapeçarias, porcelanas e imagens do Século XVIII. Do período imperial, retratos a óleo e objetos da época imperial brasileira. Avenida Morumbi, 4.077. Terça a sexta, 11h às 17h; sábado e domingo, 10h às 17h; parque e salão de chá, terça a domingo, 11h30 às 18h.

Instituto Butantan

Fundado em 1901 pelo cientista Vital Brasil, possui uma das maiores coleções de serpentes do mundo, com 54 mil exemplares. Algumas, como a naja, a jibóia e a sucuri, podem ser vistas no Museu Biológico. A estação multimídia possibilita consultas sobre as serpentes brasileiras. Avenida Vital Brasil, 1.500, Butantã. Terça a domingo, 9h às 16h30.

Zoológico

Desde que foi inaugurado, em 1958, o Zoológico de São Paulo já recebeu mais de 70 milhões de visitantes. Abriga cerca de 3,2 mil animais em 824,5 mil m², com trechos originais de Mata Atlântica. São 102 espécies de mamíferos, 216 de aves, 95 de répteis, 15 de anfíbios e 16 de invertebrados. Avenida Miguel Stéfano, 4.241, Água Funda. Terça a domingo, 9h às 17h. Segunda, quando feriado ou véspera de feriado.

Parque Zôo Safári

Atração ligada ao Zoológico de São Paulo, permite que o visitante veja, de dentro do carro, animais como zebra, girafa, macaco e camelo, que permanecem soltos no parque. As áreas dos leões, tigres e ursos têm grades. Ao longo da trilha de 4 km, percorrida em cerca de uma hora, podem ser encontrados 380 animais de 42 espécies. Avenida Cursino, 6.338, Vila Moraes. Terça a domingo, 10h às 16h.

Jardim Botânico

Tem trilhas que atravessam a vegetação, bicas de água potável, estufas, lago e caminho de palmeiras que leva ao Jardim de Lineu, inspirado no Jardim Botânico de Uppsala, na Suécia. Avenida Miguel Stéfano, 3.031, Água Funda. Quarta a domingo, 9h às 17h.

Horto Florestal

Fundado em 1896, o horto ocupa uma área de 174 hectares na Zona Norte da cidade de São Paulo. Tem área de piquenique, playground, pista de cooper, equipamentos de ginástica, bicas de água potável, lagos e o Museu Florestal, que expõe o maior acervo de madeiras da América Latina. Abriga o Palácio de Verão do governo do estado. Rua do Horto, 931, Tremembé. Diariamente, 6h às 18h. Museu: terça a sexta, 9h às 12h e 13h às 16h30.


Voltar

São Paulo

Atividades

Caminhos do Mar

Caminhada em meio à Mata Atlântica, descendo pelo caminho dos tropeiros, conhecido como Calçada do Lorena, datada de 1792. A subida é feita em microônibus pela Estrada Caminho do Mar, antiga Estrada de Santos. O passeio dura cerca de 4h e passa por monumentos históricos, localizados dentro do Parque Estadual da Serra do Mar. Estrada Caminho do Mar, Km 42, São Bernardo do Campo. Terça a domingo, 8h30 às 16h30. Os passeios devem ser agendados pelo telefone (13) 3372-3307.

Parque Estadual da Cantareira

Abrange parte da Serra da Cantareira – maior floresta urbana do mundo –, com vista panorâmica da cidade. Para chegar ao mirante, é preciso percorrer a pé uma trilha de 9,5 km, asfaltada, mas com trechos íngremes. Há outras trilhas, como a da Figueira, a da Bica e a do Bugio. Rua do Horto, 1.799, Cantareira. Sábado e domingo, 8h às 17h.

Hopi Hari

Parque temático localizado a 75 km da capital paulista, tem área de 760 mil m² e estrutura para receber 25 mil visitantes por dia. São mais de 40 brinquedos de grande porte, alguns deles radicais. Como se fosse um país, o parque tem idioma, bandeira, hino e moeda “próprios”. Há também shows, peças e apresentações de circo. Rodovia dos Bandeirantes, Km 71, Vinhedo.

Wet'n Wild

Parque aquático localizado nas proximidades do Hopi Hari, mas já no município de Itupeva, tem como principais atrações os diversos circuitos de toboáguas e as descidas em bóias. Rodovia dos Bandeirantes, Km 72, Itupeva.

Embu

A charmosa cidade, distante 27 km de São Paulo, sedia aos domingos uma conhecida feira de rua em que são vendidos objetos de arte e artesanato, móveis e antiguidades. A maior parte da produção é local. Há décadas Embu atrai artistas plásticos e hoje conta com mais de 100 ateliês. A feira é realizada no centro histórico, nas proximidades da Igreja de Nossa Senhora do Rosário e do Museu de Arte Sacra, um antigo convento.

Santana de Parnaíba

Nascida como um ponto de parada dos bandeirantes, aventureiros que percorriam o interior do país em busca de riquezas desde o Século XVI, a cidade tem um conjunto arquitetônico bem preservado, com mais de 200 edificações tombadas pelo patrimônio histórico. Entre esses prédios estão a casa onde viveu o bandeirante Anhangüera, construída na segunda metade do Século XVII, e o sobrado do Século XVIII que abriga a Casa da Cultura. Está localizada a 40 km da capital paulista. Paranapiacaba (Santo André) Localizada no município de Santo André, no ABC Paulista, a 24 km de São Paulo, Paranapiacaba é uma vila em estilo inglês erguida para acolher os trabalhadores que construíram a ferrovia entre Santos e Jundiaí no fim do Século XIX. Além do valor histórico, a região tem natureza exuberante, com muitas opções de caminhadas e outras atividades ao ar livre. O Parque Nascentes de Paranapiacaba reúne dezenas de espécies de plantas e pássaros típicos da região.

Holambra

Situada a 133 km de São Paulo, a cidade foi fundada por holandeses que escaparam da Europa devastada após a Segunda Guerra e batizaram o vilarejo com a fusão do nome dos dois países. A influência da terra de origem está em todos os lugares: na arquitetura, nos moinhos que embelezam a paisagem e na atividade que sustenta economicamente a cidade, o cultivo de flores e plantas ornamentais – Holambra detém quase 40% desse mercado no país. O espetáculo de cores e perfumes encanta os visitantes.


Voltar

São Paulo

Eventos

Grande Prêmio Brasil de Fórmula-1

A prova é realizada anualmente no Autódromo de Interlagos. Aficionados de várias partes do Brasil e do mundo lotam hotéis durante o fim de semana em que o evento é realizado.

São Paulo Fashion Week

Criada em 1996, a Semana de Moda de São Paulo cresceu e atualmente é realizada duas vezes por ano – em janeiro, apresentando as tendências para o inverno, e em julho, com a coleção de verão.

Bienal Internacional de Arte de São Paulo

Realizada desde 1951 (atualmente em anos pares), é um dos principais eventos de arte no mundo. Mostra novas vertentes e revela talentos nacionais e internacionais. A exposição vai de outubro a dezembro, no pavilhão Ciccillo Matarazzo, no Parque Ibirapuera.

Virada Cultural

O evento, que ocorre no mês de maio, oferece 24h de atrações gratuitas à população. Distribuída por vários pontos da cidade, a programação inclui espetáculos de dança, teatro, circo, cinema e música, além de visitas a museus, exposições, oficinas literárias e festas.


Voltar

São Paulo

Gastronomia

São Paulo oferece a melhor e mais variada rede gastronômica do Brasil. As opções vão desde as comidas típicas de outros estados aos sabores de todos os cantos do mundo. Do simples ao requintado, há 1,5 mil pizzarias, 500 churrascarias e 250 restaurantes japoneses, entre outros. Os botecos são também um clássico da noite paulistana.

Voltar

São Paulo

Compras

São Paulo é também o principal destino de compras do país. Aqui, podese encontrar praticamente tudo, desde os produtos mais populares (destaque para a rua 25 de Março, repleta de lojas de roupas a preços acessíveis) até os artigos mais exclusivos e caros (a região dos Jardins abriga lojas das principais grifes internacionais, em especial a rua Haddock Lobo, entre a Oscar Freire e a Estados Unidos).

Voltar

São Paulo

Arredores

CAMPOS DO JORDÃO

Localizado a 181 km da capital paulista e a 1.600 m de altitude na Serra da Mantiqueira, o charmoso município que lembra estâncias européias é o mais alto do Brasil. Nos meses de inverno, a temperatura não raro cai a zero grau. O Festival Internacional de Inverno, dedicado à música erudita, acontece sempre nos meses de julho e atrai milhares de turistas – ao longo do ano, mais de 1 milhão de visitantes. A Vila Capivari – Centro da cidade – conta com boa estrutura de comércio, gastronomia e hospedagem. Próximo dali, no município de Camanducaia, já em terras de Minas Gerais, fica Monte Verde, vila com clima e paisagem semelhantes aos de Campos do Jordão.

BARRETOS

Localizada a 426 km da capital paulista, Barretos se tornou conhecida pela Festa do Peão de Boiadeiro, a maior do gênero no Brasil, realizada desde 1956 na segunda quinzena de agosto. A festa, que dura quase duas semanas, oferece rodeios, shows de música sertaneja e concurso de culinária típica. Como a rede hoteleira da cidade é insuficiente para atender o grande número de visitantes que chegam para a festa, muitos turistas buscam hospedagem nos municípios vizinhos de Guaíra, Bebedouro e Olímpia.

BROTAS

A “capital da aventura” recebeu esse apelido por oferecer várias atividades ligadas a esportes radicais, especialmente canoagem, rafting, rapel, arvorismo, tirolesa, mountain bike, off road e ultraleve. Brotas fica a 246 km de São Paulo.

APARECIDA

Localizada a 180 km de São Paulo, a cidade é o principal destino de peregrinação religiosa no Brasil. Recebe mais de 8 milhões de visitantes por ano, especialmente durante a semana que antecede as celebrações de 12 de outubro, dia de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil. A devoção começou em 1717, quando três pescadores encontraram no rio Paraíba do Sul uma imagem da santa negra, feita de argila, à qual os moradores logo passaram a atribuir milagres. A santa permanece na Basílica Velha, construída em 1745. Em 1980, durante visita do Papa João Paulo II à cidade, foi inaugurada a Basílica Nova, com capacidade para 75 mil pessoas. As duas basílicas são ligadas por uma passarela com quase 400 m de extensão.

ATIBAIA

Integra o antigo caminho dos bandeirantes que, durante os séculos XVII e XVIII, saíam da cidade de São Paulo, distante 65 km, rumo a Minas Gerais. Seus vales, montanhas, rios, lagos e fontes de água mineral compõem um cenário propício para a prática do ecoturismo e do turismo de esportes.

CUNHA

A cidade abriga os parques da Serra da Bocaina e da Serra do Mar, o primeiro nacional e o segundo estadual, ambos com muitas cachoeiras e trilhas. Um dos pontos mais conhecidos é a Pedra da Marcela, a 1.850 m de altura. De lá se tem uma bela vista da baía de Ilha Grande, onde estão localizadas Angra dos Reis e Paraty, a cerca de 50 km de distância, já no estado vizinho do Rio de Janeiro. Distante 230 km da capital paulista, Cunha é famosa também pela produção de cerâmica de alta temperatura, obtida em fornos noborigama, originários do Japão.

SÃO LUÍS DO PARAITINGA

A cidade possui um relevante conjunto arquitetônico, com quase 90 edificações tombadas – entre elas o Mercado Municipal e a igreja dedicada ao padroeiro, São Luís de Tolosa. São Luís do Paraitinga fica a 182 km da capital paulista.

GUARATINGUETÁ

Localizada a 187 km de São Paulo, a cidade é a terra natal de Frei Galvão, o primeiro santo nascido no Brasil, canonizado pelo Vaticano em 2007. A casa onde ele nasceu, e que até hoje pertence a seus descendentes, é o principal ponto de peregrinação. Um museu com objetos e outros materiais sobre o religioso integra o circuito.

CIRCUITO DAS CAVERNAS

Criado em 1958, o Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira (Petar) reúne mais de 250 cavernas. A porta de entrada é a cidade de Iporanga, a 303 km de São Paulo, mas o parque abrange também o município de Eldorado. Entre as cavernas mais conhecidas estão a de Santana e a do Diabo – esta com 8 km de extensão, dos quais 700 m têm estrutura para visitação, incluindo passarelas e iluminação. Só é possível visitar as cavernas com o acompanhamento de um guia local. Segunda a domingo, das 8h às 17h.


Voltar

São Paulo

Acessos

Por via rodoviária

Do Rio de Janeiro: BR-116 (Dutra).
De Belo Horizonte: BR-381 (Fernão Dias).
Do Sul do País: BR-116.
De Brasília: BR-050

Por via aérea

Vôos regulares partem das principais cidades brasileiras.

Distâncias de São Paulo

Rio de Janeiro: 429 km
Belo Horizonte: 586 km
Curitiba: 408 km
Brasília: 1.015 km


Voltar