Roraima

Área 224.298km²
(2,6% do território nacional)
Habitantes 391.317
(0,2% da população nacional)
Capital Boa Vista

Roraima

Boa Vista

Boa Vista, com 250 mil habitantes, concentra quase dois terços da população e da atividade econômica do estado. É banhada pelo rio Branco, que forma praias de areia clara em suas margens. Porta de entrada terrestre dos brasileiros para o Caribe, a capital de Roraima é também um destino privilegiado de ecoturismo, esportes radicais e pesca amadora.

A cidade tem ruas largas, espaços públicos urbanizados e uma estrutura de hospedagem, alimentação – com cerca de 50 bares e restaurantes – e serviços de boa qualidade. Existem em torno de 400 leitos de hospedagem, entre hotéis de bom padrão e pousadas. Na orla do rio, bares e restaurantes servem petiscos preparados com carne de sol e o prato típico local: a paçoca de carne seca feita em pilão, servida com banana. Sucos de buriti, açaí, caxiri, aluá, bacaba e cupuaçu, entre outros, refrescam o visitante da temperatura que supera os 30°C.

Casarões centenários revelam a passagem dos ciclos econômicos e detalhes da colonização portuguesa no estado. A primeira casa da cidade – então Fazenda Boa Vista – abriga um bar bastante freqüentado. A igreja Nossa Senhora do Carmo foi a segunda construída em estilo germânico no país. Completam o circuito histórico da capital o prédio da Intendência, a Prelazia, o monumento ao Garimpeiro, na Praça do Centro Cívico, e o dos Pioneiros, na Praça Barreto Leite.

Na Praça das Águas, concentram-se os bares e restaurantes. Roraima tem acesso rodoviário ao Caribe venezuelano. Esta rota começa em Manaus (AM), através da BR-174, passa por Boa Vista e segue em direção à fronteira com a Venezuela até Paracaima. De Boa Vista à fronteira são 214 km; o trecho de Paracaima até o litoral caribenho tem 1.100 km. Ao todo, são 12 h de automóvel, em meio a uma vegetação de savana, floresta e montanhas.

Boa Vista

Principais Atrativos

Igreja Nossa Senhora do Carmo

Primeira igreja construída em Boa Vista, no início do Século XIX, tem estilo germânico. Guarda vitrais e imagens de santos da época. Foi restaurada em 2007. Avenida Floriano Peixoto, s/no, Centro. Segunda a sexta, das 17h às 19h. Domingo, das 10h às 12h15 e das 17h às 19h30.

Intendência

O prédio é uma réplica da primeira Intendência de Boa Vista. Funciona como Centro de Informações Turísticas e espaço para exposições. Avenida Floriano Peixoto, Centro. Segunda a sexta, das 8h às 18h.

Prelazia

Construída em 1909 por monges beneditinos para funcionar como hospital, já foi sede do governo e casa de padres. Sede administrativa da igreja católica de Roraima, guarda imagens de santos do Século XIX e uma pequena capela no seu interior. Avenida Bento Brasil, s/no, Centro. Segunda a sexta, das 7h30 às 11h30 e das 14h às 17h30.

Orla Taumanan

Fica às margens do rio Branco, que banha Boa Vista. Sua infra-estrutura agrega um anfiteatro e duas praças de alimentação com bares e restaurantes variados onde os moradores da cidade e os visitantes se encontram. Avenida Floriano Peixoto, Centro. Complexo Ayrton Senna Engloba 11 quadras repletas de barzinhos, restaurantes, lanchonetes, calçadões, quadras de tênis, de vôlei de areia, de futebol de areia e fontes iluminadas. Avenida Capitão Ene Garcez, s/no, Centro/Aeroporto.

Complexo Ayrton Senna

Engloba 11 quadras repletas de barzinhos, restaurantes, lanchonetes, calçadões, quadras de tênis, de vôlei de areia, de futebol de areia e fontes iluminadas. Avenida Capitão Ene Garcez, s/no, Centro/Aeroporto.

Casa da Cultura

Antiga residência governamental de Roraima, construída em 1940. Serviu de sede política até a construção do Palácio Senador Hélio Campos. Ali são realizadas exposições artísticas e encontros culturais. Rua Jaime Brasil, s/no, Centro. Segunda a sexta, das 8h às 12h e das 14h às 18h. Sábado, das 8h às 12h.


Voltar

Boa Vista

Gastronomia

A combinação da influência indígena com as culturas de migrantes que vieram de diferentes estados brasileiros faz da culinária roraimense uma experiência sensorial que merece a atenção demorada do visitante. Entre os destaques, o tacacá – sopa quente à base de camarão, mandioca e ervas, servida numa cuia –, a maniçoba, o acarajé, o churrasco gaúcho, o vatapá e o queijo mineiro.

Voltar

Boa Vista

Artesanato

O artesanato típico de Roraima é comercializado em lojas de Boa Vista e tem origem indígena. A maior parte das cestarias, adornos, colares, brincos e pulseiras, panelas de barro e utensílios é feita por índios das etnias Macuxi, Ingaricó, Taurepang, Wapixana, Yanomami e Wai-Wai. Também é possível encontrar peças com forte influência cabocla, feitas com madeiras, sementes de tento, cascas de árvores, fibras de buriti e a balata, extraída da seringueira.

Voltar

Boa Vista

Negócios e Eventos

Boa Vista tem bons centros de convenções e locais para realização de eventos. O maior deles é o Palácio da Cultura Nenê Macaggi, com capacidade para 460 pessoas. Há pelo menos mais quatro com capacidade acima de 300 pessoas.

Voltar

Boa Vista

Arredores

Monte Roraima

O Monte Roraima, com 2.875 m, encanta os apreciadores de aventuras radicais. Fica na tríplice fronteira entre Brasil, Venezuela e Guiana, em um parque nacional com cachoeiras, formações de cristais e pinturas rupestres. O acesso é pela Venezuela, numa caminhada de dois dias até a base e uma escalada de 10 h até o cume.

Rota para o Caribe

A rodovia BR-174 liga Manaus (AM) ao município fronteiriço de Paracaima, passando por Boa Vista – a estrada é pavimentada. O trecho de Boa Vista até a fronteira tem 214 km; de lá até o litoral caribenho, são mais 1.100 km, ambos asfaltados. Uma viagem de aproximadamente 12 h de automóvel, em meio a uma vegetação de savana, floresta e montanhas. No caminho, existem diversas cachoeiras, muito apreciadas pelos praticantes de esportes radicais. Um trecho de 122 km da estrada (50 dentro do território do estado do Amazonas) passa dentro da reserva dos índios Waimiri Atroari – o tráfego é liberado somente durante o dia e não é permitido parar o automóvel.


Voltar

Boa Vista

Acessos

Por via rodoviária

De Manaus: BR-174. A rodovia é totalmente pavimentada e cruza o território dos índios Waimiri-Atroari. Ônibus de linha têm passagem livre a qualquer hora, mas veículos particulares cruzam os limites das terras indígenas das 6h às 18h.

Por via aérea

O Aeroporto Internacional de Boa Vista recebe vôos regulares de São Paulo e Brasília, com escalas em Manaus.

Distâncias de Rio Branco

Manaus: 785 km
Brasília: 4.275 km
São Paulo: 4.756 km
Rio de Janeiro: 5.159 km

Voltar