Rondônia

Área 237.576km²
(2,8% do território nacional)
Habitantes 1.534.594
(0,8% da população nacional)
Capital Porto Velho

Rondônia

Porto Velho

Porto Velho, a capital de Rondônia, tem 370 mil habitantes, a maior parte de origem portuguesa, africana e indígena. Está na margem direita do rio Madeira, afluente do rio Amazonas, por onde são escoados a soja e outros produtos agrícolas e minerais do estado. Antigo porto militar, sua povoação só começou de fato em 1903, quando foi iniciada a obra de construção da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré. Na primeira década do Século XX, recebeu imigrantes de 50 nacionalidades para trabalhar na ferrovia.

Obra de proporções épicas para a época, a Ferrovia Madeira-Mamoré percorria 300 km – dentro da floresta – entre Porto Velho e os seringais. Seu objetivo era facilitar o escoamento da borracha brasileira e boliviana para exportação. O prédio da antiga estação ferroviária, desativada em 1972, abriga locomotivas e vagões. Em 2005, a ferrovia foi tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.

A economia local se baseia na indústria extrativa mineral, na pesca, na agricultura e no comércio. Os ciclos de exploração de borracha, cassiterita e ouro atraíram migrantes de vários estados brasileiros, principalmente nas últimas três décadas, diversificando o caldeirão cultural. Quem visita a cidade encontra uma culinária peculiar, com múltiplas influências, temperos e cheiros: pode saborear, por exemplo, o tacacá – bebida indígena, tomada quente em uma cuia –, um típico churrasco gaúcho ou pratos regionais como a caldeirada de tambaqui, servida com peixe fresco, e o dourado a brasa com molho de castanhado- Pará.

Porto Velho tem hotéis de bom padrão, pousadas e hotéis-fazenda, num total de 2 mil leitos, e auditórios para realização de convenções. Na praça principal estão localizadas as Três Caixas D’Água, cartão-postal da cidade. A antiga estação ferroviária fica às margens do rio, de onde saem barcos para passeios pelo rio Madeira. Os turistas têm boas opções de produtos artesanais indígenas, disponíveis em diversas lojas.

Porto Velho

Principais Atrativos

Complexo da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré

A estação ferroviária, desativada em 1972, abriga locomotivas e vagões. A estrada de ferro, construída entre 1903 e 1912, foi um marco na história do estado. Avenida Sete de Setembro, s/no, Centro. Segunda a domingo, das 8h às 17h30.

Praça das Três Caixas-D’Água

Cartão-postal de Porto Velho, as Três Caixas-D’Água foram construídas em ferro fundido, trazidas da Inglaterra no início do Século XX, para abastecer as residências dos trabalhadores da Ferrovia Madeira-Mamoré. Avenida Eduardo Gomes, esquina com Rogério Weber, Caiari.

Paróquia de São Tiago Maior

A paróquia abriga o museu de presépios – 100 variedades trazidas da Europa, África e América Latina. Rua José Amador dos Reis, 2810, Bairro JK. Terça a sábado, das 8h às 12h e das 14h às 19h. Domingo, das 15h às 21h. Parque Circuito O parque tem pista de 1 km para caminhada, áreas gramadas e grande quantidade de seringueiras. Av. Lauro Sodré, s/no, Aeroporto. Segunda a domingo, das 7h às 18h.

Parque Circuito

O parque tem pista de 1 km para caminhada, áreas gramadas e grande quantidade de seringueiras. Av. Lauro Sodré, s/no, Aeroporto. Segunda a domingo, das 7h às 18h.


Voltar

Porto Velho

Atividades

Passeios de barco

Barcos levam o visitante à Igreja de Santo Antônio, marco inicial de Porto Velho. O passeio pelo rio Madeira tem duração aproximada de 1h. Av. 7 de Setembro, s/no, Centro. Segunda a domingo das 15h às 17h.


Voltar

Porto Velho

Gastronomia

A base da gastronomia de Porto Velho é o peixe. Os pratos típicos são a caldeirada de tambaqui – preparada com peixe fresco, temperos verdes e ovos cozidos – e o dourado assado na brasa com molho de castanha-do-Pará –, iguaria servida com arroz, pirão de farinha de mandioca e batata sauté. A influência dos migrantes sulistas se manifesta em pratos como o churrasco.

Voltar

Porto Velho

Artesanato

A produção artesanal de Porto Velho tem influência das etnias indígenas Caritianas e Pacaás-Novos. Flechas, chocalhos, paus-de-chuva (um instrumento de percussão) e tambores de látex –, criação dos Caritianas – encantam pela beleza e pelo cuidadoso acabamento. Os Pacaás-Novos produzem cestarias em fibras de tucumã e palha. Peças trabalhadas em sementes de açaí e jarina, feitas em madeira, palha e argila, são encontradas em boas lojas da cidade, como a Artes Brasil, a Casa do Artesanato, a Cooperativa Açaí e a Soho da Tribu.

Voltar

Porto Velho

Arredores

Numa região em que as distâncias para muitos lugares são medidas pelo tempo de navegação, há dois lugares de interesse turístico com acesso rodoviário. O primeiro deles é Costa Marques (no Vale do Guaporé), a 764 km de Porto Velho. O último trecho de estrada é em chão-batido, de difícil tráfego na estação das chuvas, e a estrutura turística na região é ainda rudimentar – verifique previamente a disponibilidade de barcos para transporte e pesca e hospedagem. Indicado apenas para viajantes com espírito de aventura, mas permite a realização de programas de ecoturismo, pesca esportiva e expedições na selva. O segundo fica em Cacoal, a 477 km de Porto Velho. Apesar da distância, o acesso é todo pavimentado, pela principal rodovia do estado, e a estrutura turística é confortável.

Vale do Guaporé

O rio Guaporé nasce no estado de Mato Grosso e corre rumo ao Norte para Rondônia, fazendo em grande parte a divisa natural entre o Brasil e a Bolívia. É considerado um dos cursos d’água mais bonitos do Brasil, por suas paisagens naturais e diversidade biológica. Ao longo do caminho recebe vários afluentes, muda de nome para Mamoré e deságua no rio Madeira, que por sua vez é afluente do Amazonas. A variedade de peixes faz do Guaporé uma excelente opção para a pesca esportiva: tucunarés, tambaquis, piaus, traíras, pirararas, lambaris e outras espécies fazem a festa dos aficionados. Não existe estrutura organizada para a pesca, mas é possível alugar barcos e equipamentos em Costa Marques, Caxibi e Pimenteiras do Oeste. Em Costa Marques fica o Forte Príncipe da Beira, o mais antigo monumento histórico de Rondônia. Foi inaugurado em 1783 para consolidar a posse da coroa portuguesa sobre as terras à margem direita do rio, que marcava o limite com as terras espanholas.

No mesmo município fica a reserva extrativista de seringueiros do rio Cautário, afluente do Guaporé. Não existe visitação organizada, mas quem se dispuser a uma aventura de “voadeira” (lancha rápida) terá o privilégio de conhecer uma cultura diferenciada e privar da hospitalidade dos ribeirinhos. Outra atração do Vale do Guaporé é a Fazenda Pau D’Óleo, situada em uma área de campos naturais, entre a Reserva Biológica do Guaporé e áreas extrativistas e quilombolas. No local existem em torno de 20 mil búfalos selvagens, introduzidos em Rondônia na década de 1950.

Cacoal Selva Park Hotel

Localizado no município de Cacoal, em uma RPPN (Reserva Particular do Patrimônio Natural), esse hotel oferece uma ampla área para descanso e lazer aos visitantes. Sua estrutura inclui chalés, piscinas de água corrente, trilhas na floresta, minizoológico, restaurante, espaço para festas e eventos, área de recreação infantil, lago com pedalinhos e outras atrações. Destaque para o circuito de arvorismo, em que é possível observar a flora amazônica na copa das árvores.


Voltar

Porto Velho

Acessos

Por via rodoviária

De Manaus: BR-319.
De Brasília: BRs 060, 354, 163, 070, 174, depois BR-364.
Para Costa Marques: BR-364 até o município de Presidente Médici; a partir dali, seguir pela BR-429 em direção ao Oeste, em estrada de terra.
Para Cacoal: BR-364.

Por via aérea

Vôos diários partem de Brasília, com escala em Manaus.

Distâncias de Porto Velho:

Manaus: 992 km
Brasília: 2.609 km


Voltar