Mato Grosso

Área 903.357km²
(10,6% do território nacional)
Habitantes 2.803.274
(1,5% da população nacional)
Capital Cuiabá

Mato Grosso

Pantanal Norte

O Pantanal é um dos mais belos cenários naturais do Brasil e um patrimônio natural com grande biodiversidade. Maior planície inundável do planeta, exibe uma extraordinária concentração de vida selvagem – em seus mais de 200 mil km² de extensão, abrangendo 12 municípios dos estados de Mato Grosso do Sul e Mato Grosso, abriga pelo menos 650 espécies de aves, mais de 200 de peixes e 80 de mamíferos.

Cercada por serras, a região constituise numa depressão que chega a atingir 200 m abaixo do nível do mar e vive sob a influência das águas. Durante metade do ano, entre novembro e abril, as chuvas provocam a cheia dos muitos rios, especialmente o Paraguai, cobrindo pontes, trechos de estradas e extensas faixas de terra, formando grandes alagados. A vegetação se revela em toda a sua beleza e a exuberância da flora pode ser contemplada em passeios de barco.

Na época da seca, entre maio e outubro, as águas começam a recuar, desnudando as terras. Nesse período de vazante dos rios, se avista com maior facilidade a densa população de jacarés, as capivaras, as ariranhas, as antas, os lobo-guarás, os cervos-do-pantanal, os tamanduás-bandeira e, com sorte, onças-pintadas. É a época dos ninhais – a partir de julho; os grandes ninhais são avistados em agosto/setembro –, quando as aves se agrupam na copa das árvores para chocar seus filhotes, um espetáculo pulsante de vida. Em qualquer época, as revoadas dos tuiuiús – ave símbolo do Pantanal –, das garças, dos biguás, dos colhereiros, ao anoitecer ou ao amanhecer, enche os olhos.

A região é propícia para a pesca. Há pousadas na beira dos rios e barcos-hotéis que promovem a atividade. Entre os peixes abundantes, o dourado, o jaú, a piraputanga, o pacu, o pintado e as piranhas. Na estiagem ou na cheia, o visitante encontra programas para a contemplação da natureza: safáris fotográficos, observação de aves e animais, passeios de barco, cavalgadas e trilhas. A região pantaneira compreende parte expressiva dos territórios do Mato Grosso do Sul (dois terços da área alagadiça) e do Mato Grosso.

Pantanal Norte

Principais Atrativos

No Pantanal Norte, os principais atrativos turísticos concentram-se nos municípios de Cáceres, situado às margens do rio Paraguai, e Poconé – a 186 km de Cáceres e 108 km da capital, Cuiabá –, onde fica o início da Rodovia Transpantaneira, que atravessa toda a área do Pantanal pertencente ao estado do Mato Grosso. Cáceres é o principal destino de pesca do Pantanal Norte. No porto da cidade, há dezenas de barcoshotéis que navegam até regiões ainda virgens ao longo do rio Paraguai. Com boa infra-estrutura, eles garantem conforto a quem quer pescar ou simplesmente admirar a beleza da vida selvagem. Há também pousadas e fazendas situadas à beira do rio que oferecem roteiros de pesca, passeios de barco ou a cavalo.

Poconé dá acesso à Transpantaneira, estrada de terra com 150 km que termina abruptamente nas barrancas do rio Cuiabá, já na divisa com o estado do Mato Grosso do Sul, cruzando 120 pontes de madeira, algumas em estado precário de conservação – não convém se aventurar por ali de carro, sem guia, na época das chuvas. Em todo o percurso, a vida selvagem está presente, bem próxima, nos alagados ao lado da estrada. É possível avistar jacarés – às centenas! –, diversas espécies de mamíferos e grandes revoadas de aves, num espetáculo de encher os olhos. Ao longo da Transpantaneira, pousadas e hotéis organizam programas que levam o visitante ao coração do Pantanal.

Voltar