Mato Grosso do Sul

Área 357.124km²
(4,2% do território nacional)
Habitantes 2.264.468
(1,2% da população nacional)
Capital Campo Grande

Mato Grosso do Sul

Corumbá

A "capital do Pantanal" está localizada às margens do rio Paraguai, a 441 km de Campo Grande. Corumbá é cidade portuária e histórica, um destino recomendado para quem gosta de pescar e admirar a natureza. Já no caminho, é possível avistar uma fauna exuberante – além dos tuiuiús, há uma infinidade de outras aves se exibindo em revoadas às margens da rodovia, jacarés descansando nos alagados, bandos de capivaras...

Corumbá faz fronteira com a Bolívia. Possui significativo patrimônio histórico. Há opções de passeios de barco pelo rio Paraguai, de carro pela Estrada Parque – que proporciona contato direto com a fauna e a flora – e a cavalo, nos hotéis fazenda da região. No porto, grandes barcos transformados em hotéis flutuantes, com capacidade para dezenas de pessoas e equipados com lanchas próprias para pesca, oferecem passeios de vários dias pelos rios do Pantanal.

Corumbá

Principais Atrativos

Casario do Porto

O cartão-postal da cidade ainda guarda vestígios de um período de grande prosperidade: em 1814, o porto foi o terceiro maior da América Latina. Ali desembarcavam transatlânticos com mercadorias vindas da Europa e vendidas ao Brasil. O conjunto de prédios (tombado pelo IPHAN) abrigava grandes empórios, mais de 20 agências bancárias internacionais, curtumes e a primeira fábrica de gelo do país. Entre as construções, destacam-se a casa Vasquez & Filhos, construída em 1909 pelo arquiteto italiano Martino Santa Lucci, e o prédio Wanderley Baís & Cia, de 1876, considerado um dos mais belos do porto. No local funciona hoje a Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Turismo e a Fundação de Cultura do Pantanal.

Estação Natureza Pantanal

O espaço promove exposição interativa sobre o povo pantaneiro, a fauna e a flora local, com fotografias, reproduções sonoras, vídeos, maquetes e jogos para crianças. Rua José Bonifácio, 111.

Estrada Parque

A Estrada Parque é um passeio inesquecível pelas belezas do Pantanal. Com 120 km e 87 pontes de madeira, oferece cenários de rara beleza. Saindo pela BR-262 de Corumbá e seguindo em direção ao Porto da Manga, avistam-se animais como jacarés, capivaras, araras, tuiuiús, cararás, veados e sucuris. Em Porto da Manga, a 68 km de Corumbá, há uma balsa que atravessa o rio Paraguai. Do outro lado, fazendas que oferecem cavalgadas, excursões fluviais, observação de animais e paisagens coloridas por ipês e bocaiúvas. Nessa região fica a antiga casa do Marechal Cândido Rondon, responsável pela abertura da Estrada Parque, no fim do Século XIX.

Forte Coimbra

O Forte Coimbra foi construído em 1775, às margens do rio Paraguai, para defender o território brasileiro das invasões espanholas. Ali também ocorreram batalhas na época da Guerra do Paraguai. A construção, tombada pelo Patrimônio Histórico, tem mirante com quatro canhões de origens inglesa e norte-americana. O local é aberto a visitas e abriga atualmente uma base militar e o Hotel de Trânsito do Exército. Para chegar lá é necessário ir de avião ou barco. Nas proximidades da vila fica a gruta Ricardo Franco.

Forte Junqueira

O forte foi construído em 1871, logo depois da Guerra do Paraguai, e está localizado numa área privilegiada da qual se avista o rio Paraguai e a planície do Pantanal. As paredes são de calcário e têm meio metro de espessura. O forte mantém os 12 canhões originais fabricados na Inglaterra. Rua Cáceres, 425 (17 Batalhão).

Igreja Nossa Senhora da Candelária

Foi construída em meados do Século XIX e guarda, em seu altar, um brasão da Coroa Portuguesa. Em frente à Praça da República, no centro da cidade.

Instituto Luiz de Albuquerque

O museu reúne acervo com peças de várias tribos indígenas da região, artes plásticas, artesanato em couro e barro, utensílios usados nas fazendas centenárias, animais empalhados e objetos pessoais do Marechal Cândido Rondon e dos primeiros desbravadores do Pantanal. O prédio, construído em 1922, abriga ainda duas bibliotecas.

Rio Paraguai

O rio Paraguai, juntamente com o Miranda e o Aquidauana, é um dos destinos de pesca mais procurado do Pantanal Sul. Tem uma enorme variedade de peixes, entre os quais o dourado e as temidas piranhas. Na região de Corumbá, há barcos-hotéis, fazendas e pousadas que organizam passeios fluviais, ótima opção para desfrutar as paisagens e avistar animais selvagens como a onça-pintada. O roteiro de 3 horas (com parada de 40 minutos para pescaria) inclui visita ao Forte Junqueira e à Base Fluvial de Ladário, primeiro arsenal fluvial brasileiro. Os barcos também organizam passeios mais longos, de um ou mais dias.


Voltar

Corumbá

Arredores

Entre Corumbá e Campo Grande, ficam as cidades de Aquidauana e Miranda, os principais acessos ao interior do Pantanal Sul. Nesta região, há muitos hotéis-fazendas, com boa infra-estrutura de hospedagem e alimentação e todos os equipamentos necessários para curtir a vida pantaneira: barcos para passeios ou pescarias nos rios, única forma de transporte capaz de realmente colocar o visitante em contato com a vida selvagem do Pantanal; bons cavalos pantaneiros para cavalgadas; guias para caminhadas pela floresta e observação de animais; carros tracionados para safáris fotográficos nas difíceis estradas da região. Alguns dos hotéis-fazendas têm pista de pouso para aviões, única forma de chegar a esses locais na época da cheia.

Aquidauana

Saindo de Campo Grande em direção a Corumbá, Aquidauana é a primeira cidade do Pantanal Sul, situada a 136 km da capital, na margem direita do Rio Aquidauana. Com aproximadamente 46 mil habitantes, é cercada de exuberantes espécies da fauna e da flora do Pantanal. No núcleo urbano, ficam a Igreja Matriz, construída em 1930, e o Mercado Municipal – que reúne comerciantes de produtos alimentícios e de ervas medicinais. Em seu entorno, cidades próximas – como Anastácio, Cipolândia, Piraputanga e Taunay – também possuem opções de contato com a vida pantaneira.

Miranda

Situada 80 km a Oeste de Aquidauana, a 225 km de Corumbá, Miranda integra o circuito de ecoturismo da região. O passado se expressa por meio do patrimônio arquitetônico, como a velha Usina de Açúcar Santo Antônio, construída em 1900; as antigas casas do centro, e a Estação Ferroviária, a mais antiga do Mato Grosso do Sul. A partir de Miranda, é possível chegar a bons hotéis-fazenda no coração do Pantanal Sul.


Voltar

Corumbá

Acessos

Por via rodoviária

Acesso pela BR-262, a partir de Campo Grande.

Por via aérea

Há vôos regulares para Corumbá a partir de Brasília e Campo Grande. Muitas fazendas possuem campo de pouso para pequenos aviões.

Distâncias de Corumbá

Campo Grande: 441 km
Aquidauana: 305 km
Miranda: 225 km


Voltar