Goiás

Área 340.086km²
(4% do território nacional)
Habitantes 5.619.917
(3,1% da população nacional)
Capital Goiania

Goiás

Goiás

Em 2001, seis décadas após ter sido substituída por Goiânia na condição de capital do estado, a Cidade de Goiás (antiga Vila Boa) foi declarada Patrimônio Histórico da Humanidade pela Unesco. Foi justamente a perda de status de capital que permitiu à cidade manterse exatamente como era no início do Século XX: repleta de casarões coloniais, pomares e ruelas com calçamento de pedra.

Na cidade, cuja população atual não passa de 20 mil habitantes, viveu a poetisa Cora Coralina (1889-1985), que durante décadas trabalhou como doceira e só aos 75 anos publicou o primeiro livro, tornando-se então conhecida em todo o país.

Outras duas mulheres são marcantes na história da Cidade de Goiás. Uma delas é a pintora Goiandira Ayres do Couto, nascida em 1915. Seus trabalhos caracterizam-se pelo uso de mais de 500 tonalidades naturais de areia, retiradas da Serra Dourada, situada nas proximidades. A outra é personagem folclórico da cidade, a Maria Grampinho. Negra que vagava pela cidade com os cabelos cheios de grampos, foi adotada por Cora Coralina e viveu no porão de sua casa até o fim da vida. Sua figura – transformada em boneca – está presente em todas as lojas de artesanato do centro histórico.

A cidade promove anualmente, na véspera da Paixão de Cristo, a Procissão do Fogaréu, tradição realizada há três séculos que consiste no desfile de 40 encapuzados, descalços, que encenam a caçada a Jesus e percorrem a cidade com tochas, lembrando as passagens bíblicas que antecedem a crucificação. Centenas de tochas são distribuídas às pessoas que acompanham a encenação.

Cidade de Goiás

Principais Atrativos

Centro histórico

São quase 500 imóveis tombados como patrimônio histórico, além de 1,2 mil objetos, como obras de arte e móveis. Casa de Cora Coralina A casa em que a poetisa nasceu e viveu a maior parte da vida foi transformada em museu após sua morte, em 1985. Construção histórica, foi uma das primeiras edificações da cidade, comprada pela família de Cora no início do Século XIX.

Quartel do Vinte

Trata-se do mais antigo prédio oficial do estado de Goiás, cuja construção foi concluída em 1747. Hoje, funcionam ali a Secretaria de Cultura e o Arquivo Municipal.

Museu das Bandeiras (Casa de Câmara e Cadeia)

Um dos maiores prédios da cidade, datado de 1776. Abriga utensílios de garimpo e coleções de porcelanas, herança da presença portuguesa.

Igreja da Boa Morte

A construção da igreja foi concluída em 1779. O prédio atualmente é sede do Museu de Arte Sacra da Boa Morte, com coleção de imagens dos séculos XVIII e XIX. No acervo, há também coroas, cálices, castiçais e lampadários do período.

Chafariz da Boa Morte

Erguido em 1778, fornecia água para a cidade junto com outro chafariz também preservado, o Carioca.

Palácio Conde dos Arcos

Reúne mobília de época e outros utensílios, como louças pintadas à mão. É usado como residência do governador todos os anos, no mês de julho, quando a cidade é homenageada e volta a ser a capital do estado durante três dias.

Igreja da Matriz Santana

A Catedral da Cidade de Goiás começou a ser construída em 1743 para substituir a capela erguida nos primeiros tempos do povoado e que, na opinião do então Ouvidor Geral de Goiás, Manoel Antunes da Fonseca, já não refletia o rápido desenvolvimento da cidade.


Voltar

Cidade de Goiás

Eventos

Procissão do Fogaréu

Todos os anos, à meia-noite da Quarta-feira de Trevas (que antecede a Paixão de Cristo), a Cidade de Goiás realiza a Procissão do Fogaréu, quando 40 farricocos – personagens encapuzados e descalços que encenam a caçada a Jesus – saem da Igreja da Boa Morte e percorrem a cidade com tochas, lembrando as passagens bíblicas que antecedem a crucificação. Centenas de tochas são distribuídas às pessoas que acompanham a encenação. Trata-se de uma tradição que remonta a quase três séculos.

Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental

Conhecido pela sigla Fica, é realizado anualmente, na primeira semana de junho. Reúne mostra cinematográfica e conscientização ambiental. Conta com a participação de dezenas de países e inclui diversas atividades paralelas.


Voltar

Cidade de Goiás

Gastronomia

Doces cristalizados, como o cajuzinho do Cerrado e os alfenins (feitos de polvilho e açúcar em forma de animais), são uma marca registrada da cidade. Sua filha mais célebre, a poetisa Cora Coralina, exerceu durante décadas a atividade de doceira. Há bons restaurantes que servem comida típica goiana, como a carne de sol, pratos com pequi e o empadão goiano.

Voltar

Cidade de Goiás

Artesanato

As peças produzidas com as centenas de tonalidades coloridas das areias extraídas da Serra Dourada destacam-se na produção local de artesanato, mas os turistas também se encantam com as bonecas de pano de Maria Grampinho, as peças de cerâmica indígena e os bonecos farricocos, personagens da Procissão do Fogaréu.

Voltar

Cidade de Goiás

Acessos

Por via rodoviária

De Goiânia: GO-070.
De Brasília: BR-060 até Anápolis e depois GO-070.

Distâncias da Cidade de Goiás

Goiânia: 140 km
Brasília: 320 km


Voltar