Espírito Santo

Área 46.077km²
(0,5% do território nacional)
Habitantes 3.408.365
(1,8% da população nacional)
Capital Vitória

Espírito Santo

Vitória e região

Situada num arquipélago com 34 ilhas, mais uma porção continental, Vitória – com 315 mil habitantes – é uma das menores capitais do Brasil. Ao contrário do que costuma ocorrer em relação a outras capitais, não é a cidade mais populosa de seu estado – a vizinha Vila Velha tem 400 mil habitantes. O mar faz parte do cotidiano da cidade. Vitória tem dois portos –Vitória e Tubarão – e uma das mais belas entradas portuárias do Brasil, a Baía de Vitória. Seis pontes fazem a ligação ilha-continente. Entre as praias mais conhecidas estão Camburi, Canto e Curva da Jurema, cujas águas calmas são propícias aos esportes náuticos. Fundada em 1551, a terceira capital mais antiga do país – atrás apenas de Recife e Salvador – preserva construções históricas como a Capela de Santa Luzia, o Palácio Anchieta e os casarios em torno das diversas escadarias que fazem a ligação entre a parte baixa e a parte alta da cidade. Vitória tem movimentada vida noturna. O trecho da Praia do Canto conhecido como Triângulo das Bermudas concentra dezenas de bares e restaurantes, locais para experimentar os saborosos pratos típicos da culinária capixaba. Jovens e boêmios freqüentam também a Orla de Camburi, a Curva da Jurema e a Rua da Lama, próxima à Universidade Federal do Espírito Santo.

Vitória e região

Principais Atrativos

Praias

A arborizada Camburi é a principal praia de Vitória. Com 6 km de extensão, concentra muitas opções de hotéis, bares, quiosques e restaurantes. Já as águas calmas da Praia do Canto são próprias para banho e prática de esportes náuticos. Curva da Jurema Localizada entre as ilhas do Boi e do Frade, forma uma enseada propícia à prática de esportes náuticos, com calçadão, ciclovia e escola de vela. À noite, os quiosques têm música ao vivo.

Ilha do Frade

As pequenas praias da ilha, transformada em luxuoso condomínio residencial, são ideais para quem quer sossego. A mais famosa é a da Castanheira. O acesso é feito por escadaria ou caminhando entre as rochas.

Manguezal

Localizado ao Noroeste da Ilha de Vitória, com uma área de 891 hectares, é um dos maiores manguezais urbanos do mundo. Muitos dos seus canais são navegáveis e recebem passeios turísticos. Cia das Barcas, Santo Antônio.

Palácio Anchieta

Situado de frente para a Baía de Vitória, foi construído no Século XVI pelos padres Jesuítas. Abrigou o Colégio de São Tiago até 1760 e desde então é sede do governo do estado. Rua Pedro Palácios, Cidade Alta, Centro. Terça a domingo, 12h às 17h.

Teatro Carlos Gomes

Construído em 1927 em estilo neorenascentista italiano, com projeto do italiano André Carloni, que se inspirou no célebre Teatro Scala, de Milão. A cúpula é de autoria do artista plástico Homero Massena. Praça Costa Pereira, Centro. Visitas agendadas pelo telefone (27) 3132-8396.

Catedral Metropolitana

Substituta da antiga Igreja Matriz de Vitória. Começou a ser construída na década de 1920 e só ficou pronta meio século depois. Em estilo neogótico, tem como destaques os belos vitrais e a capela do subsolo em que estão enterrados os bispos do Espírito Santo. Praça Dom Luiz Scortegagna, Cidade Alta, Centro. Segunda a sexta, 8h às 11h e 14h às 19h; sábado e domingo, 8h às 11h e 17h às 19h.

Capela de Santa Luzia

É a edificação mais antiga da cidade, construída no Século XVI sobre uma rocha, em pedra e cal de ostra, com telhas de barro. A capela fazia parte da fazenda de Duarte Lemos, na sesmaria doada pelo primeiro donatário da Capitania do Espírito Santo, Vasco Fernandes Coutinho (em 1534, o rei de Portugal, Dom João III, havia dividido as terras do Brasil em Capitanias Hereditárias). Rua José Marcelino, Cidade Alta. Segunda a sexta, 8h às 18h.

Igreja do Rosário

Edificada em 1765 pelo bispado da Bahia, em resposta à solicitação da Irmandade dos Homens Pretos, guarda importante acervo de arte sacra. Dela sai todos os anos a procissão de São Benedito, uma das mais tradicionais de Vitória. Rua do Rosário, Centro. Terça a sexta, 8h às 17h.

Museu Solar Monjardim

Antiga residência do Barão de Monjardim, erguida no fim do Século XVIII, conserva móveis, oratórios, louças e peças decorativas da época. Avenida Paulino Müller, Jucutuquara. Terça a sexta, 12h às 17h30; sábado, domingo e feriados, 13h às 17h.

Planetário

Oferece diferentes sessões, com duração aproximada de 40 m. A sazonal (como o céu se apresenta em cada estação do ano) ocorre às sextas-feiras, às 19h; a infantil aos sábados, às 17h; e as temáticas (“O Céu de 1500 em Portugal e no Brasil” e “Vida e Morte das Estrelas”), aos sábados, às 18h30. Avenida Fernando Ferrari, Campus da Universidade Federal do Espírito Santo.

Horto de Maruípe

Com 60 mil m², abriga palmeiras imperiais, córregos e espécies da Mata Atlântica. Há trilhas para caminhadas e corridas, quadras, campo de futebol e playground. Avenida Maruípe, Maruípe. Terça a domingo, 5h às 22h.

Parque Pedra da Cebola

Com nome inspirado em uma grande rocha cujo formato lembra uma cebola, o parque tem espaço cultural, templo budista, paredão natural para a prática de alpinismo, áreas para outros esportes e observação de animais. Avenida Desembargador Demerval Lyrio, esquina rua Vicente de Oliveira, Mata da Praia. Terça a domingo, 5h às 22h.

Parque da Fonte Grande

Localizado no ponto mais alto da cidade, a 308 m, oferece bela vista panorâmica da cidade, além de trilhas em meio à Mata Atlântica. Rodovia Serafim Derenzi, Santo Antônio. Terça a domingo, 8h às 17h.

Parque Gruta da Onça

Com 68,9 mil m², o parque – coberto por vegetação remanescente da Mata Atlântica – oferece escadarias, trilhas, playground, praça, com mesas e bancos para jogos, mirante, gruta, orquidário e auditório. Rua Barão de Monjardim, Centro. 7h às 17h.

Pedra dos Olhos

Diz a lenda que os dois olhos, esculpidos na pedra pela erosão, observam a cidade. O monumento natural tem 296 m de altura e está localizado numa reserva ambiental, onde se pode fazer trilhas, escaladas e rapel. Avenida Müller, Fradinhos.


Voltar

Vitória e região

Atividades

Pesca oceânica

A costa entre Vitória e Guarapari é um dos melhores lugares do Brasil para a prática de pesca esportiva. Operadoras oferecem lanchas e equipamentos para pesca do marlim-azul, marlim-branco, atum, cavala, dourado e outras espécies. As lanchas partem do Iate Clube do Espírito Santo, mas é preciso agendar com duas semanas de antecedência. Em 1992, um marlim-azul de 636 kg foi capturado na região, um recorde mundial.


Voltar

Vitória e região

Artesanato

A panela de barro, uma tradição de 400 anos, é o principal artesanato local, indispensável na elaboração dos pratos regionais. Elas são vendidas às margens das rodovias e também podem ser compradas diretamente dos produtores na Associação das Paneleiras de Goiabeiras. Rua das Paneleiras, 55, Goiabeiras.

Voltar

Vitória e região

Gastronomia

A cidade tem cerca de 200 bares e restaurantes, com destaque para a cozinha regional e seus pratos à base de frutos do mar. Estrela da culinária capixaba, a moqueca é preparada com peixe, camarão, lagosta ou siri e temperada com azeite de oliva, tintura de urucum, tomate, cebola e coentro. A torta capixaba, com peixe, mariscos e palmito, também faz sucesso – mas os restaurantes costumam prepará-la sob encomenda, pois o prato demora mais de 1 h para ficar pronto. Há também forte presença das cozinhas italiana e portuguesa na cidade.

Voltar

Vitória e região

Negócios e Eventos

Vitória vem ganhando importância como destino de turismo de negócios. A rede hoteleira tem cerca de 4 mil leitos, incluindo alternativas de alto padrão. O Centro de Convenções de Vitória tem capacidade para 4 mil pessoas.

Centro de Convenções de Vitória

Rua Constante Sodré, 117 a 157, Santa Lúcia. (27) 3335-4600 www.centrodeconvencoesvitoria.com.br

Festa e Procissão Marítima de São Pedro

O tradicional evento, organizado desde 1928 no fim de maio, é uma demonstração de fé ao padroeiro dos pescadores. A procissão começa na Igreja São Pedro, na Praia do Suá, e segue por terra até a Capitania dos Portos, onde se inicia a Procissão Marítima.

Vital

Criado em 1994, o Carnaval fora de época de Vitória é realizado em novembro.


Voltar

Vitória e região

Arredores

Vila Velha

Cidade mais antiga e mais populosa do estado, com 400 mil habitantes, Vila Velha tem vários monumentos históricos, como o Convento de Nossa Senhora da Penha, instalado na segunda metade do Século XVII sobre um rochedo de 154 m de altura; o Forte São Francisco Xavier da Barra (construído no início do Século XVIII); a Igreja Nossa Senhora do Rosário (uma das mais antigas do Brasil, erguida no Século XVI); e o Museu Ferroviário, que abriga uma maria-fumaça e muitas peças de trens. Há também belas praias, como a da Costa – de mar esverdeado, concentra hotéis, condomínios e restaurantes –, e suas vizinhas Itapoã e Itaparica, com ondas fortes. O balneário da Barra do Jucu, antiga colônia de pescadores, oferece boas opções de gastronomia e é reduto de bandas de congo, uma tradição musical do folclore capixaba. Outra atração para os visitantes é a fábrica de chocolate Garoto, instalada no bairro Glória, aberta à visitação. Vila Velha fica bem ao lado de Vitória – apenas 14 km separam as duas cidades, interligadas pela ponte Darcy Castelo de Mendonça, conhecida como Terceira Ponte.

Guarapari

Principal balneário capixaba, situado a 50 km de Vitória, Guarapari oferece grande variedade de atrações para os milhares de turistas que visitam a cidade durante o verão: praias de vários tipos, mergulho em naufrágios, pesca oceânica, construções históricas e boa gastronomia. Entre as 51 praias, Meaípe e a do Morro se destacam como redutos de bons restaurantes da culinária típica do Espírito Santo. Quem busca sossego pode optar pelas praias dos Namorados, das Castanheiras, do Meio ou Três Praias. A praia de Areia Preta é famosa pelo potencial terapêutico de suas areias monazíticas. Há ainda a praia de Muquiçaba, também conhecida como Prainha. Guarapari é considerado um dos melhores lugares do país para a prática do mergulho. Entre as ilhas Rasas e a Escalvada encontra-se o maior arrecife artificial da América Latina, resultado do afundamento controlado do cargueiro Victory 8B, em 2003. Já na Enseada Azul a atração é o vapor Faria Lemos, naufragado em 1890. Entre as construções antigas da cidade, destaca- se a Velha Matriz, resultado de sucessivas ampliações e reformas da capela que Padre Anchieta mandou erguer em 1585, abrigo atualmente do Museu Sacro.

Anchieta

Vizinha de Guarapari, originou-se de uma aldeia de índios catequizados pelos Jesuítas, fundada em 1565 pelo Padre José de Anchieta – daí o nome da cidade. Tem 21 praias, das quais as mais conhecidas são as do Castelhano, Parati, Guanabara, Iriri e Ubu, além de lagoas, rios, manguezais e falésias. Um passeio pelas águas do rio Benevente inclui visita às Ruínas Jesuíticas. Outros pontos históricos são o Santuário de Assunção – que inclui a Igreja Matriz – e a residência dos Jesuítas, onde Anchieta passou os últimos anos de vida. A cidade fica a 73 km de Vitória. Conceição da Barra Última cidade do litoral capixaba antes da Bahia, localizada a 264 km de Vitória, tem como principal atração o distrito de Itaúnas, antiga vila soterrada pelas dunas na década de 1960. As melhores praias são a de Itaúnas, com bares à beira-mar, e a selvagem Riacho Doce, na divisa com a Bahia, ambas com dunas que chegam a 30 m de altura. No Parque Estadual de Itaúnas é possível fazer passeios guiados a cavalo, de carro, canoa, bicicleta ou a pé entre dunas, mangues, restingas e alagados.

Serra Capixaba

A Serra Capixaba, ligada a Vitória pela BR-262, tem cidades que lembram a Europa, como Domingos Martins (a 50 km da capital), colonizada por alemães, e Venda Nova do Imigrante (a 121 km da capital), colonizada por italianos. Há bons restaurantes de culinária típica, além de grande oferta de produtos coloniais, como queijos, geléias, salames, massas e licores. Muitas propriedades rurais se dedicam ao ecoturismo. No inverno, a temperatura da região se aproxima de zero grau.


Voltar

Vitória e região

Acessos

Por via rodoviária

De Belo Horizonte: BR-262. Do Rio de Janeiro: BR-101.
De Salvador: BR-101 ou BR-116.

Por via aérea

Vôos regulares partem das principais capitais.

Distâncias

Belo Horizonte: 535 km
Rio de Janeiro: 517 km
Salvador: 1.202 km


Voltar