Bahia

Área 564.692km²
(6,6% do território nacional)
Habitantes 13.815.334
(7,6% da população nacional)
Capital Salvador

Bahia

Salvador e região

Primeira capital do Brasil, condição que perdurou por mais de dois séculos – entre 1549, ano de sua fundação, e 1763, quando o Rio de Janeiro assumiu o posto –, Salvador é a terceira cidade mais populosa do país, com 2,7 milhões de habitantes, atrás apenas de São Paulo e Rio de Janeiro.

Visitantes de todo o mundo logo percebem que a capital baiana tem uma vibração única. A influência da África está em cada um de seus becos, ladeiras e ruas, nas manifestações artísticas e culturais – sobretudo na música – e na culinária de temperos fortes.

Tombado pela Unesco como Patrimônio Cultural da Humanidade, o centro histórico tem mais de 800 construções coloniais, concentradas especialmente na região do Pelourinho, palavra que designa as colunas em que escravos eram presos e açoitados nos tempos da escravidão.

Diversos outros atrativos revelam os encantos da cidade: o Elevador Lacerda, o Mercado Modelo, o Forte de Santo Antônio da Barra, o Convento de São Francisco, o Farol da Barra, as mais de 300 igrejas, os 11 fortes, além do visual de belas praias, como Itapuã, Jardim de Alá, Piatã e Stella Maris.

Salvador é um exemplo de tolerância religiosa, com o catolicismo e o candomblé convivendo em harmonia – e muitas vezes sendo até praticados pelas mesmas pessoas.Tanto o Carnaval quanto as festas religiosas atraem multidões. Da mesma forma, o antigo e o moderno se mesclam em uma cidade ao mesmo tempo tradicional e cosmopolita.

Salvador e região

Principais Atrativos

Centro Histórico – Pelourinho

Com mais de 800 construções coloniais, o Centro Histórico de Salvador, na Cidade Alta, foi declarado Patrimônio da Humanidade pela Unesco. A parte mais visitada é o Pelourinho, repleto de casarões, ladeiras calçadas com pedras e igrejas dos séculos XVI. É também um centro cultural e de lazer, com museus, teatros, praças, lojas, bares e restaurantes.

Elevador Lacerda

Maior elevador público do país, com 72 m de altura, liga a praça Visconde de Cairu, na Cidade Baixa, à praça São Tomé de Souza, na Cidade Alta. Construído em 1872, oferece uma bela vista panorâmica da Baía de Todos os Santos e das centenas de embarcações que circulam por ali.

Mercado Modelo

Localizado na praça Visconde de Cairu – ponto obrigatório para quem quer ir à Cidade Alta pelo Elevador Lacerda –, foi construído em 1861 para abrigar a Alfândega e reconstruído após um incêndio em 1984.

Farol da Barra

Um dos principais cartões-postais de Salvador, o Farol da Barra está localizado em um ponto histórico: foi ali que o navegador Américo Vespúcio aportou, em 1501, e formalizou a posse do território, instalando um marco da coroa portuguesa.

Fortes

Um dos destaques é o de Monte Serrat, sede do Museu da Armaria, construído durante nada menos que 160 anos, entre os séculos XVI e XVIII. Dele se tem uma vista panorâmica que inclui a Baía de Todos os Santos, a Cidade Baixa e a Ilha de Itaparica. Também vale conhecer o Forte de Santo Alberto (ou da Lagartixa, como é conhecido popularmente), que desempenhou papel importante durante a invasão holandesa, e o de Santo Antônio da Barra, localizado junto ao Farol da Barra, sede do Museu Hidrográfico da Bahia.

Igreja e Convento de São Francisco

Fundada em 1587, foi destruída pelos holandeses e reconstruída no Século XVIII. Tem o interior em talha de madeira recoberta em ouro, com entalhes no estilo barroco. Estimase que tenha sido utilizada uma tonelada de ouro em pó nos revestimentos dos altares. As pinturas do teto reverenciam Nossa Senhora, enquanto a sacristia tem 18 painéis a óleo em celebração a São Francisco. O Convento tem 37 painéis de azulejos em que aparecem personagens da mitologia greco-romana. Largo Cruzeiro de São Francisco (Centro Histórico). Segunda a sábado, 8h às 17h30; domingo, 7h às 12h.

Catedral Basílica – Museu da Catedral

A construção do Século XVII, com duas torres e abóbadas em madeira, abriga o Museu da Catedral. Há peças em prata e ouro, imagens como da Nossa Senhora de São Lucas e dois altares originários da Igreja do Colégio dos Jesuítas, do século XVI. Terreiro de Jesus (Centro Histórico). Segundo a sábado, 8h às 11h30 e 14h às 17h30; domingo, 10h30 às 12h30.

Ordem Terceira de São Domingos de Gusmão

Concluída em 1731, tem fachada em estilo rococó. Os azulejos da capela principal são ilustrados com imagens de São Domingos. O teto foi pintado por José Joaquim da Rocha em 1882. Terreiro de Jesus (Centro Histórico). Segunda a sexta, 8h às 12h e 145h às 17h; domingo, 8h às 10h.

Nossa Senhora do Rosário dos Pretos

Datada do fim do Século XVIII, tem duas torres e fachada esculpida com belíssimos detalhes. No interior, painéis de azulejos. As missas mantêm a tradição de cânticos afros e sons de atabaques. Largo do Pelourinho. Segunda a sexta, 9h às 18h; sábado, 9h às 17h; domingo, 10h às 12h.

Nossa Senhora da Conceição da Praia

A igreja tem uma origem pitoresca: veio desmontada de Portugal para ser montada no Brasil, processo concluído em 1765. Com fachada em mármore esculpido, abriga interessantes imagens sacras e pintura no teto de José Joaquim da Rocha. Largo da Conceição da Praia (Cidade Baixa). Terça a sexta, 7h às 11h30 e 15h às 17h; sábado a segunda, 7h às 11h30.

Senhor do Bonfim

O Senhor do Bonfim é o protetor dos baianos – por isso a igreja inaugurada em 1754 é uma das mais populares da cidade. No teto há imagens de náufragos agradecidos por terem sobrevivido. Nas escadarias da igreja é realizada a tradicional lavagem do Bonfim na segunda quinta-feira após o Dia de Reis, 6 de janeiro, evento que reúne cerca de um milhão de pessoas. Largo do Bonfim. Terça a domingo, 6h30 às 12h e 14h às 18h.

Museu Abelardo Rodrigues

Localizado no Solar do Ferrão, construção do Século XVII, abriga uma das mais importantes coleções de arte sacra do Brasil, com mais de 800 pinturas, imagens, crucifixos e altares, entre outras peças. Rua Gregório de Matos, 45 (Centro Histórico). Terça a sábado, 13h às 18h.

Fundação Casa de Jorge Amado

Espaço cultural dedicado à obra do grande romancista baiano. Tem edições dos livros publicados em mais de 60 países, fotos, cartazes e filmes baseados na obra do famoso autor. Inclui trabalhos da mulher de Jorge Amado, a também escritora Zélia Gattai. Largo do Pelourinho, 51. Segunda a sábado, 9h às 18h.

Museu de Arte Sacra

Localizado em um antigo convento da congregação das carmelitas descalças, abriga grande acervo do estilo barroco. Rua do Sodré, 276 (Cidade Alta). Segunda a sexta, 11h30 às 17h30.

Solar do Unhão

Construído no Século XVII, o Solar do Unhão sedia o Museu de Arte Moderna, com obras de importantes nomes das artes plásticas brasileiras, como Di Cavalcanti, Cândido Portinari e Tarsila do Amaral. O conjunto inclui ainda o Parque das Esculturas. Avenida do Contorno (Cidade Baixa). Terça a domingo, 13h às 19h.

Museu de Arte da Bahia

Instalado em um prédio conhecido como “Palacete da Vitória” (referência ao bairro em que está localizado), construído na década de 1920, o museu tem em seu acervo pinturas, porcelanas chinesas, peças sacras e móveis dos séculos XVIII a XIX. Avenida 7 de Setembro, 2.340 (Vitória). Segunda a sexta, 14h às 19h; sábado e domingo, 14h30 às 18h30.

Praça Castro Alves

O local que homenageia o grande poeta baiano é um dos principais pontos de encontro da cidade e coração do Carnaval de Salvador.

Parque do Dique do Tororó

O parque, localizado na Avenida Vasco da Gama, tem uma lagoa rodeada por pista de corrida e um palco flutuante com arquibancadas para shows, piers para pesca e restaurantes.

Parque Metropolitano de Pituaçu

Localizado na orla, é a maior área verde de Salvador, com vegetação de Mata Atlântica. Possui uma ciclovia e sedia o Museu de Arte Mário Cravo Júnior. Avenida Otávio Mangabeira/ Rua Iracema (Praia de Pituaçu). Segunda a domingo, 8h às 17h.

Parque Metropolitano do Abaeté

Reúne atrativos naturais, como dunas de areia fina e a lagoa (com locais apropriados para banho), e também culturais, como a Casa da Música, onde se encontra a “fobica” de Dodô e Osmar, precursora dos trios elétricos que hoje arrastam milhares de foliões durante o Carnaval. O acesso se dá pela Ladeira do Abaeté, em Itapoã.

Parque São Bartolomeu

Cenário do primeiro sermão público do padre jesuíta Antônio Vieira, em 1633, antigo território de quilombos e considerado local sagrado pelo candomblé, contém um dos últimos resquícios de Mata Atlântica no Brasil, com florestas, rios e cachoeiras.

Praias

A capital baiana tem 50 km de praias.


Voltar

Salvador e região

Atividades

Vela e Náutica

Salvador impressiona pela quantidade de marinas e atracadouros ao longo de sua orla. Muitos atracadouros são “utilitários”, onde escunas e saveiros – embarcações típicas da região – descarregam mercadorias e embarcam passageiros para lazer ou viagens ao Recôncavo. Marinas com excelente infraestrutura recebem veleiros vindos de todas as partes do mundo, principalmente da Europa.

Esportes

Surfe, windsurf e sobretudo mergulho são esportes aquáticos muito praticados em Salvador. Principal porto do Hemisfério Sul até o Século XVIII, a cidade tem um grande número de barcos naufragados – alguns desses vestígios estão a poucos metros da praia, condição ideal para mergulhadores iniciantes, enquanto os mais experientes podem ir ao encontro dos restos de embarcações que repousam em águas profundas.

Capoeira

Tipicamente brasileira – e, acima de tudo, baiana –, a capoeira mistura dança e luta, disputada ao som de berimbau, cânticos e palmas. Além das eventuais demonstrações públicas, há vários locais para a prática desta atividade em Salvador, em especial na região do Pelourinho.


Voltar

Salvador e região

Gastronomia

Marcada por temperos picantes, a culinária da Bahia é uma das mais ricas do Brasil, misturando receitas indígenas, africanas e portuguesas. Um dos ingredientes básicos é o azeite de dendê, que enriquece o sabor de pratos à base de frutos do mar e de mandioca. Entre as tantas iguarias baianas, destacam-se o vatapá, o caruru, a moqueca, o acarajé, o abará e as cocadas, encontradas nos tabuleiros de baianas com trajes típicos que circulam pela cidade. Também fazem sucesso pratos oriundos do sertão baiano, como carne de sol com pirão, feijão verde na manteiga e bode assado.

Voltar

Salvador e região

Artesanato

O artesanato produzido em Salvador pode ser rústico – colares e bijouterias produzidos em madeira, cerâmica, palha, conchas do mar e sementes – ou sofisticado – jóias confeccionadas com pedras preciosas e semipreciosas, ouro ou prata. A religiosidade está presente na maioria deles. Os patuás, ícones do sincretismo religioso da Bahia, tomam a forma de figas, olhos-deboi ou de fitinhas do Senhor do Bonfim, o mais célebre e econômico souvenir da cidade. Instrumentos musicais típicos – em especial o berimbau e o atabaque – também são muito procurados. Todos esses artigos estão à venda no Mercado Modelo, um dos maiores centros de artesanato da América Latina, e nas lojas do Pelourinho.

Voltar

Salvador e região

Negócios e Eventos

A rede de hospedagem de Salvador dispõe de 30 mil leitos. Nos mais de 500 bares e restaurantes é possível experimentar a típica culinária baiana, mas há também muitas opções de cozinha internacional. O maior local para receber eventos na cidade é o Centro de Convenções da Bahia, com capacidade para 2 mil pessoas.

Centro de Convenções da Bahia Avenida Simão Bolivar, s/no, Jardim Armação. (71) 3117-3000 www.bahiatursa.ba.gov.br/ccb

Voltar

Salvador e região

Eventos

Carnaval

O Carnaval de Salvador é um dos mais tradicionais e empolgantes do país. Além de atrair milhares de turistas, conta com o entusiasmo e participação de boa parte da população. Cerca de 2 milhões de pessoas espalham-se por 25 km de ruas, avenidas e praças, embaladas pelo som dos trios elétricos, carretas com amplificadores de som que servem como palcos móveis. Alguns dos trios elétricos têm no comando nomes famosos da música brasileira, que animam a multidão.

Festa de Iemanjá

Realizada no dia 2 de fevereiro na praia do Rio Vermelho, é o principal evento dos adeptos da umbanda e do candomblé na cidade. Na mesma data, os católicos reverenciam Nossa Senhora dos Navegantes. Festa da Boa Viagem e do Bom Jesus dos Navegantes A tradicional festa, realizada desde o Século XVIII na virada do ano, dá seqüência às celebrações do Ano Novo na Praia da Boa Viagem.

Festa de São Cosme e São Damião

Realizada anualmente em 27 de setembro, tem a participação de católicos, com missas em várias igrejas, e de adeptos do candomblé e da umbanda, que distribuem doces e iguarias às crianças e demais participantes.

Festa de Reis

À meia-noite do dia 5 de janeiro, os ternos, ranchos e pastores percorrem o Centro Histórico seguindo os Reis Magos até o presépio montado na Igreja da Lapinha.

Voltar

Salvador e região

Arredores

ITAPARICA

Ilha com 246 km² e 55 mil habitantes, localizada na Baía de Todos os Santos, a 14 km de Salvador por mar, tem mais de 40 km de belas praias. As opções de hospedagem são reduzidas e os principais núcleos urbanos – Itaparica, Mar Grande e Cacha Pregos – concentram toda a estrutura turística. Há construções históricas como a Matriz de Vera Cruz, do Século XVI, e o forte de São Lourenço, construído pelos holandeses em 1711. As principais atividades são o mergulho livre nos recifes da localidade de Mar Grande e o passeio de barco que sai da vila de pescadores de Cacha Pregos, no Sul da ilha.

CACHOEIRA

Cidade muito próspera no Século XIX em função do cultivo de canade- açúcar, guarda relevante patrimônio histórico e cultural, a ponto de ser declarada Monumento Nacional pelo IPHAN e Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco. O conjunto arquitetônico tem construções dos séculos XVI ao XIX, com destaque para o casario colonial, as igrejas da Terceira Ordem do Carmo, de Nossa Senhora do Rosário e de Nossa Senhora d’Ajuda, o Chafariz Imperial, a Casa de Câmara e Cadeia, a Casa da Irmandade de Nossa Senhora da Boa Morte, o Museu Regional, o Mercado Municipal e a Estação Ferroviária. A ponte Dom Pedro II, erguida em 1865 com estrutura metálica trazida da Inglaterra, é outro atrativo interessante. Cachoeira fica a 116 km de Salvador.

SÃO FÉLIX

Unida a Cachoeira pela ponte D. Pedro II, é conhecida como “Cidade Presépio” pela configuração singular de seu conjunto arquitetônico – o casario colonial se estende em direção aos montes que emolduram a cidade. A exemplo da cidade vizinha, tem uma série de construções históricas, como as igrejas Deus Menino e de São Félix, a Estação Central, o Mercado Municipal, o Chalé dos Guinle e o Farol da Pedra da Baleia.


Voltar

Salvador e região

Acessos

Por via rodoviária

A BR-116 e a BR-101 ligam Salvador ao resto do Brasil.

Por via aérea

Vôos regulares partem das principais cidades brasileiras.

Distâncias de Salvador

São Paulo: 1.962 km
Rio de Janeiro: 1.649 km
Brasília: 1.446 km
Recife: 842 km


Voltar