Bahia

Área 564.692km²
(6,6% do território nacional)
Habitantes 13.815.334
(7,6% da população nacional)
Capital Salvador

Bahia

Península de Maraú e região

Localizada na Costa do Dendê, litoral Sul da Bahia, a Península de Maraú é um verdadeiro paraíso tropical. A península – uma grande faixa de terra em formato de língua que avança para o Norte – forma dois ecossistemas distintos. Na parte externa, voltada para o oceano Atlântico, mais de 50 km de praias, dunas, coqueirais e arrecifes. Na parte interna, a baía de Camamu – a terceira maior do Brasil, seu volume de água só perde para as baías de Todos os Santos e da Guanabara – forma cenários de ilhas, canais, varadouros, rios e cachoeiras.

Na parte externa da península – principalmente em Taipus de Fora e Barra Grande –, a infra-estrutura turística é boa, com modernos e confortáveis hotéis, resorts, restaurantes e até pistas de pouso que recebem aviões particulares.

No extremo Norte da península, um farol indica a entrada da baía de Camamu. Navegar por suas águas tranqüilas é retornar ao passado do Brasil Colonial. No vilarejo de Campinho, pousadas simples e hospitaleiras oferecem conforto e infra-estrutura para navegadores vindos de todas as partes do mundo. Ali ainda se pode beber água de cocos colhidos diretamente dos pés e saborear pratos deliciosos e simples, à base de peixes, em rústicas cabanas de pescadores, espiando o veleiro ancorado logo em frente. A cidade de Maraú fica voltada para o interior da baía; distante 425 km de Salvador, foi fundada por frades italianos em 1705.

Toda essa variedade é um convite à prática de esportes: vela, canoagem, surfe, wakeboard, trekking, mergulho, ciclismo, mountain bike, off road.

Na região em torno da península, destaque para o Morro de São Paulo, as ilhas de Boipeba e Cairu e as cidades de Camamu, Valença e Itacaré.

Península de Maraú e região

Principais Atrativos

Maraú / Centrinho

A sede do município na verdade é uma pequena vila, com casario antigo em torno da igreja e da praça central.

Barra Grande

É o distrito de Maraú que dispõe da melhor estrutura hoteleira, com resort de alto padrão, hotéis e pousadas de diferentes categorias (a maior parte dos 2 mil leitos disponíveis na Península de Maraú se encontra em Barra Grande). O cardápio dos bares e restaurantes inclui pratos típicos à base de frutos do mar e cozinha internacional. As praias têm, em geral, águas tranqüilas.

Taipus de Fora

Localizada a 7 km do centrinho de Barra Grande, é reconhecida como uma das praias mais bonitas do litoral brasileiro por abrigar paradisíacas piscinas naturais repletas de peixes, próprias para a prática de mergulho livre.

Morro do Farol

Com 51 m de altura, o morro oferece vista de 360 da península.

Lagoa do Cassange

A lagoa de água doce e escura estende-se por cerca de 5 km; suas águas possuem lanolina, substância utilizada na fabricação de xampus.

Ilha Grande

Maior ilha da Península de Maraú, com cerca de 4 km2, oferece ao visitante praias com águas calmas e límpidas, além de várias trilhas.

Ilha do Goió

Vila de pescadores, nas proximidades de Campinho, na parte interna da Baía de Camamu. Suas praias de areias claras, águas cristalinas e coqueiros remetem a paisagens míticas da Polinésia. O acesso é feito por barcos.

Cachoeira do Tremembé

Esse inusitado atrativo – uma cachoeira com 5 m que deságua no mar – fica na parte final da Baía de Camamu. O acesso é feito por barcos.


Voltar

Península de Maraú e região

Atividades

Passeios de barco

Operadoras locais oferecem passeios de barco passando pelos principais atrativos da Baía de Camamu. Também é possível pegar barcos de linha que fazem o percurso – em horários fixos, duas vezes por dia – entre a cidade de Camamu e as diversas vilas da baía e da península.

Outros passeios

Em atividades com duração de um dia, o visitante percorre a península de bicicleta, moto ou off road. Os veículos podem ser alugados na vila de Barra Grande. Jeep Tour pela Península O passeio sai da praia do Cassange em veículo 4x4 e percorre toda orla até a Ponta de Mutá. A atividade inclui caminhada pela praia até Barra Grande.

Mergulho noturno

Nas piscinas naturais da praia de Taipus de Fora são realizados mergulhos com lanterna para a observação da fauna marinha noturna – o acompanhamento de guia é obrigatório.

Voltar

Península de Maraú e região

Gastronomia

A base da gastronomia da Península de Maraú são os pratos com frutos do mar: peixes, lagostas, caranguejos, siris e camarões. A moqueca de camarão e a moranga recheada com lagosta são algumas das especialidades da culinária baiana regadas com pimenta e azeite de dendê.

Voltar

Península de Maraú e região

Artesanato

O artesanato em Maraú é feito com matérias-primas típicas: o coco, a semente do dendê e a fibra de piaçava. A produção inclui acessórios, peças em madeira e cestaria.

Voltar

Península de Maraú e região

Eventos

Festival da Tainha

O festival cultural e gastronômico ocorre no mês de maio, em Barra Grande. A programação inclui competições de pratos à base desse tipo de peixe, além de desfiles e danças folclóricas.

Voltar

Península de Maraú e região

Arredores

CAMAM

Banhada pelo rio Acarai, a cidade é a porta de entrada da península de Maraú. Na parte alta, um mirante oferece vista panorâmica da Baía de Camamu, a terceira maior do Brasil, enquanto na parte baixa o porto abriga barcos que levam aos vilarejos de pescadores da região, com destaque para Barra Grande. Ilhas de variados tamanhos, Mata Atlântica, rios, manguezais e praias bem preservadas são alguns dos inúmeros atrativos naturais da região. Passeios de lanchas e escunas levam às atrações mais próximas: as ilhas da Pedra Furada – com rocha escavada pela erosão, fonte natural e praia de águas cristalinas – e do Goió, com paradisíacas praias desertas; e os povoados de Campinho – conhecido por preservar a casa onde Antoine de Saint-Exupéry, o autor de O Pequeno Príncipe, hospedou-se na década de 1930 – e de Sapinho, cujos bares e restaurantes servem peixe frito, siris, lagostas e moquecas regadas a azeite de dendê. Camamu está a 329 km de Salvador.

MORRO DE SÃO PAULO

Um dos destinos turísticos mais concorridos da chamada Costa do Dendê, no litoral Sul da Bahia, situa- se a 306 km de Salvador, mais 1h30 de barco. Na sede da vila de ruas estreitas há construções do Século XVII, como o Casarão, edificação de 1608 que hospedou D. Pedro II e a Marquesa de Santos em 1859, e a Fortaleza do Morro de São Paulo, construída em 1630. Uma seqüência de praias deixa em dúvida os turistas sobre a melhor escolha; todas são fantásticas! As trilhas, os morros e a riqueza da fauna e da flora convidam à prática do ecoturismo.

ILHA DE BOIPEBA

O variado ecossistema local vai da Mata Atlântica a uma das maiores reservas de mangue do país, passando por restingas e, claro, praias com coqueirais e a recifes. Fundada pelos jesuítas em 1537, Boipeba, localizada a 306 km de Salvador, possui construções de grande valor histórico, com destaque para as igrejas do Divino Espírito Santo (Século XVII) e de São Sebastião (início do Século XX).

ILHA DE CAIRU

A Ilha de Cairu atrai visitantes pelo conjunto arquitetônico, reunindo construções como o Convento de Santo Antônio, de 1654, e a igreja de Nossa Senhora da Luz, com altares em estilo barroco do Século XVII. Também é um conhecido ponto de mergulho.

VALENÇA

Atrações naturais não faltam em Valença, a 272 km de Salvador: cortada por vários rios, a cidade tem praias, cachoeiras, ilhas e um grande manguezal. No conjunto arquitetônico se destacam o casario do porto, o Paço Municipal, a Câmara de Vereadores, a antiga casa do comendador Madureira e as igrejas Nossa Senhora do Amparo e Sagrado Coração de Jesus, que abriga imagens dos séculos XVIII e XIX. Valença também é famosa por sediar os principais estaleiros da Bahia especializados na construção de escunas e saveiros – a réplica da nau Nina, da frota de Cristóvão Colombo, utilizada no filme 1492: A Conquista do Paraíso, de Ridley Scott, foi construída pelos mestres carpinteiros locais.

ITACARÉ

Montanhas, piscinas naturais, rios, cachoeiras, coqueirais e dezenas de praias formam uma das maiores reservas de Mata Atlântica do Nordeste brasileiro. Trata-se de uma área de aproximadamente 9 mil hectares em que centenas de espécies da flora e da fauna podem ser avistadas, incluindo algumas ameaçadas de extinção, como o macaco-prego do peito amarelo e a preguiça de coleira. Com ruas de paralelepípedos e casarões antigos, em especial a Igreja Matriz, construída em 1723, Itacaré tem boa rede hoteleira e gastronômica, com 3 mil leitos à disposição dos visitantes. Um dos principais atrativos naturais é o rio de Contas, que deságua na orla de Itacaré após percorrer cerca de 620 km desde a sua nascente, na Chapada Diamantina. Modalidades esportivas como surfe, trekking, parapente, rafting, rapel, cascading, mountain bike, caiaque, arvorismo e off road são praticadas na cidade. A praia de Tiririca é considerada o melhor “pico de surfe” da Bahia. Itacaré fica a 330 km de Salvador.


Voltar

Península de Maraú e região

Acessos

Por via marítima

Lanchas, catamarãs e escunas partem diariamente de Camamu em direção à península de Maraú. Morro de São Paulo pode ser alcançado em viagem marítima, com zarpes de Salvador.

Por via rodoviária

De Salvador para Maraú: BRs 324, 101 e 030.
De Salvador para Camamu: BRs 324 e 101, BAs 245 e 001.
De Ilhéus para Maraú: BA-415, BRs 101 e 030.
De Ilhéus para Camamu: BA-415, BR-101, BA-650.
* (A BR-030 é uma estrada de terra em condições precárias, mais adequada a veículos 4x4).

Distâncias

Salvador – Maraú: 425 km
Salvador – Camamu: 329 km
Ilhéus – Maraú: 100 km
Ilhéus – Camamu: 132 km


Voltar